“O Dia Municipal do Marabaixo: reverencia a ancestralidade e resistência do povo negro para manter viva a cultura’, reforçam marabaixeiros na CMM

por Sec. Comunicação publicado 15/06/2022 01h49, última modificação 15/06/2022 01h49

Durante a 26ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Macapá, realizada nesta terça-feira, 14 de junho, Fábio José de Souza representou a comunidade marabaixeira. A convite do vereador Dudu Tavares (PDT), ele usou a Tribuna da Casa para falar da importância do Dia Municipal do Marabaixo, celebrado em 16 de junho, Lei nº 2. 475/21 de autoria do parlamentar pedetista.

Fábio Souza, que é conselheiro reeleito no segmento Marabaixo, no Conselho Estadual de Cultura, reforçou que o Dia Municipal do Marabaixo é uma forma de salvaguardar essa manifestação cultural que é patrimônio imaterial do povo amapaense e brasileiro, reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

“É o dia que reverencia a ancestralidade e a luta do nosso povo negro para manter vivas as nossas manifestações culturais e superar o racismo, que ainda é muito grande. Nossa fé, nossas vestimentas, nossas comidas e bebidas peculiares, nossa alegria e forma de manifestar a nossa devoção, são únicas e tem uma razão de ser”, frisou Fábio, agradecendo ao vereador Dudu Tavares por ter acatado o pedido da comunidade marabaixeira para efetivar a data no calendário municipal.

O vereador Dudu cumpre agenda acadêmica no estado do Pará, mas através das suas redes sociais, reiterou seu compromisso com o segmento. “É o nosso Marabaixo se fortalecendo, ultrapassando os barracões e se fazendo respeitar cada vez mais. Eu sou muito grato por estar vereador e poder contribuir com a comunidade marabaixeira neste sentido. O Marabaixo é nosso, precisamos nos apropriar, conhecer e difundi-lo cada vez mais”, concluiu o vereador.

Texto: Eloisy Santos
Fotos: Ph Gomes